sábado, julho 31, 2021
HomeNotíciasDiretor de Inteligência dos EUA afirma que apresentará relatório ao Congresso com...

Diretor de Inteligência dos EUA afirma que apresentará relatório ao Congresso com provas de interferência estrangeira da China nas eleições de 2020 — Conexão Política

O Diretor de Inteligência Nacional dos EUA, John Ratcliffe, afirmou à CBS que houve interferência estrangeira nas eleições presidenciais realizadas em novembro. China, Rússia e Irã seriam os países que teriam tentado influenciar as eleições, segundo Ratcliffe.

A afirmação foi feita pela repórter da CBS, Catherine Herridge, citando Ratcliffe.

Herridge disse que Ratcliffe tem acesso a todas as 17 agências de inteligência dos EUA e pode obter informações altamente confidenciais. Ela acrescentou que o diretor está aguardando um relatório sobre suas conclusões sobre tal interferência eleitoral da China.

Na verdade, Ratfliffe deve apresentar um relatório obrigatório ao Congresso americano. Segundo o diretor, a maior ênfase será colocada no dragão asiático. O relatório conterá a avaliação da comunidade de inteligência dos EUA sobre as ameaças estrangeiras às eleições de 2020.

O diretor nacional de inteligência recebeu relatórios relevantes desde as eleições, disseram fontes de seu gabinete à CBS. Mas as agências ainda não concluíram suas investigações.

“O correspondente sênior da CBS News, Herridge, relata que Ratcliffe disse à CBS News que houve interferência eleitoral estrangeira pela China, Iran e Rússia em novembro deste ano [2020]”, escreveu Heshmat Alavi em 16 de dezembro.

A ameaça chinesa

Nos meses que antecederam as eleições, vários altos funcionários americanos destacaram a ameaça da China nas votações de 2020.

Somente o diretor do FBI, Chris Wray, deu preponderância à Rússia nesse sentido. Ele disse que Moscou tem sido “muito ativa” em seus ataques a Joe Biden. Wray acusou a Rússia de tentar semear “divisões e discórdia”.

Após o testemunho de Wray no Congresso, Trump o criticou, chamando a interferência eleitoral da China “uma ameaça muito maior do que a Rússia”.

Uma avaliação pré-eleitoral indicou que a China gostaria de Biden na presidência americana para facilitar suas ações no ocidente. Trump é visto pelo governo do Partido Comunista Chinês como uma ameaça aos seus planos expansionistas. O Presidente dos EUA travou uma batalha contra a esquerda mundial, principalmente a chinesa, durante todo o seu governo.

“A China tem expandido seus esforços de lobby para moldar o ambiente político nos Estados Unidos, pressionar figuras políticas que considera opostas aos interesses da China e desviar e contra-atacar as críticas à China”, disse Bill Evanina, a figura principal de inteligência de segurança eleitoral nos EUA.

O impacto da avaliação do relatório de John Ratcliffe poderia causar uma reviravolta nos resultados das eleições americanas, dando o impulso para a vitória de Trump.

A advogada Sidney Powell disse que, devido à alegada interferência estrangeira nas eleições de 3 de novembro, “é mais do que suficiente para ativar a ordem executiva de 2019 do Presidente Donald Trump sobre a interferência estrangeira nas eleições”.

Leia também: A ordem executiva que Trump poderia executar em caso de interferência estrangeira nas eleições americanas

Fonte: conexaopolitica.com.br/mundo/eua/diretor-de-inteligencia-dos-eua-afirma-que-apresentara-relatorio-ao-congresso-com-provas-de-interferencia-estrangeira-da-china-nas-eleicoes-de-2020/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=diretor-de-inteligencia-dos-eua-afirma-que-apresentara-relatorio-ao-congresso-com-provas-de-interferencia-estrangeira-da-china-nas-eleicoes-de-2020

RELATED ARTICLES
- Advertisment -
Google search engine

Most Popular