domingo, agosto 1, 2021
HomeNotíciasPaquistão toma medidas contra a questão do casamento forçado e conversão forçada...

Paquistão toma medidas contra a questão do casamento forçado e conversão forçada ao islã de meninas de comunidades minoritárias — Conexão Política

De acordo com a Union of Catholic Asian News (UCAN), o governo do Paquistão anunciou que está criando um centro especial para avaliar o casamento forçado e a conversão forçada ao islã de meninas menores de idade das comunidades minoritárias do país, como a comunidade cristã.

O anúncio foi feito pelo assessor especial do primeiro-ministro Imran Khan para Assuntos Religiosos, Hafiz Tahir Ashrafi, em um tweet publicado em 16 de dezembro.

“Um Centro de Coordenação Especial foi estabelecido para lidar com as questões das minorias”, diz o tweet de Ashrafi. “Ninguém poderá entrar em pânico no país por causa das questões de conversão forçada e casamentos de menores.”

Centre to address minorities’ issues https://t.co/gU5FVuVBaZ

— TahirMahmoodAshrafi حافظ محمد طاهراشرفى (@TahirAshrafi) December 17, 2020

O anúncio do governo paquistanês segue-se a vários casos de casamento forçado e conversão forçada ao islã que alcançaram manchetes internacionais, incluindo o caso de Arzoo Raja. Em outubro de 2020, Arzoo, uma menina cristã de 13 anos de Karachi, foi sequestrada, forçada a “se casar” e convertida à força ao Islã por seu vizinho muçulmano de 44 anos.

Leia também: Jovem cristã paquistanesa é assassinada por recusar proposta de casamento de muçulmano

Os líderes cristãos no Paquistão saudaram a ação do governo. Vincent Thomas, chefe da Comissão de Diálogo Inter-religioso da Arquidiocese de Karachi, disse à UCAN: “Às vezes, temos que enfrentar problemas para chegar aos funcionários do governo sobre as questões das minorias. Este centro especial pode definitivamente ajudar a economizar nosso tempo e esforços, mas veremos como ele beneficia as minorias e melhora a harmonia inter-religiosa”.

De acordo com um estudo de 2014 do Movimento pela Solidariedade e Paz no Paquistão, cerca de 1.000 mulheres cristãs e hindus são sequestradas, forçadas ao “casamento” e convertidas ao islã à força todos os anos. Muitas das vítimas são menores. As agressões sexuais e os “casamentos” fraudulentos são usados ​​pelos perpetradores para prender as vítimas e as autoridades paquistanesas costumam ser cúmplices.

A questão da religião é utilizada como “desculpa” em casos de agressão sexual para colocar as vítimas de comunidades de minorias religiosas em desvantagem. Jogando com preconceitos religiosos, os perpetradores sabem que podem encobrir e justificar seus crimes introduzindo um elemento de religião.

Fonte: conexaopolitica.com.br/mundo/paquistao-toma-medidas-contra-a-questao-do-casamento-forcado-e-conversao-forcada-ao-isla-de-meninas-de-comunidades-minoritarias/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=paquistao-toma-medidas-contra-a-questao-do-casamento-forcado-e-conversao-forcada-ao-isla-de-meninas-de-comunidades-minoritarias

RELATED ARTICLES
- Advertisment -
Google search engine

Most Popular